Práticas inclusivas em um curso de licenciatura em Matemática: um estudante cego e a visão de suas duas tutoras

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Franksilane Gonçalves Camelo
Maria de Fátima Dias da Silva

Resumo

O presente relato narra a trajetória de um estudante que possui deficiência visual, acadêmico do curso de Licenciatura em Matemática do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus São João Evangelista. Será feito um relato na visão de suas duas tutoras que auxiliam o estudante dentro e fora da sala de aula nas diversas disciplinas que compõem o curso desde o segundo semestre de 2013, ano no qual o estudante veio para a Licenciatura em Matemática transferido do curso de Sistemas de Informação. Dessa forma, algumas práticas e/ou fatos que aconteceram durante a tutoria e que consideramos importantes estarão presentes ao longo do texto, bem como alguns dos desafios, das superações, buscando fazer algumas reflexões no âmbito da Educação Matemática Inclusiva. Nos últimos anos, muito se tem falado a respeito da Inclusão escolar, porém, ainda é nítida a carência por práticas que incluam todos os estudantes dentro da sala de aula regular, os acolham e os ofereçam uma educação de qualidade. Assim, fica evidente que em qualquer momento de nossa carreira profissional poderemos nos deparar com qualquer um deles em nossas salas de aula, sendo uma questão de cidadania dispor de todos os esforços, a fim de oferecermos a melhor educação possível para tal estudante.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Palavras-chave
Educação Matemática Inclusiva. Deficiência visual. Tutoria