As resoluções de estudantes em situações de proporção simples

  • Tamiles da silva Oliveira Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Eurivalda Ribeiro dos Santos Santana
  • Adriana Costa Santos da Silva

Resumo

O objetivo deste é artigo analisar o desempenho e os esquemas de resolução apresentados por estudantes do 3º e 5º anos do Ensino Fundamental ao resolverem situações de proporção de simples. O estudo está fundamentado na Teoria dos Campos Conceituais, em específico a Estrutura Multiplicativa. A pesquisa se trata de um recorte dos resultados de um projeto maior, a saber: “Um estudo sobre o domínio das estruturas multiplicativas no Ensino Fundamental” (E-Mult), caracteriza-se por uma pesquisa descritiva e interpretativa, na qual analisamos as resoluções dos estudantes em três situações de proporção simples, que foram resolvidas por 195 estudantes do 3º ano e 235 estudantes do 5º ano, de três escolas públicas localizadas no Sul da Bahia. Os resultados apontam que os estudantes de ambos anos escolares apresentam um melhor desempenho na situação a qual se espera o uso da multiplicação, e o desempenho decai quando lidam com as situações nas quais se espera o uso da divisão. Não existem diferenças significativas quando os estudantes lidam com as situações de divisão, os desempenhos de ambos escolares são bem próximo. Os esquemas de resolução que mais levam os estudantes os no 3º e no 5º ao acerto das situações é a representação numérica.

Referências

ERICKSON, F. D. Qualitative methods in research on teaching. In M. C. Wittrock (Ed.), Handbook of research on teaching. 3rd ed. New York, NY: MacMillan, 1986. p. 119-161.
Gil, A. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.
LAUTERT, S. L.; SPINILLO, A. G. As relações entre o desempenho em problemas de divisão e as concepções de crianças sobre a divisão. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 18, n. 3, 2002. Disponível em: .
MERLINI, V. L. As potencialidades de um processo formativo para a reflexão na e sobre a prática de uma professora nas séries iniciais: Um estudo de caso.Tese (Doutorado em educação matemática).Pontifícia Univesidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2012. p.261.
NUNES, T.; BRYANT, P. Criança Fazendo Matemática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
SANTANA, E. Estrutura Aditiva: o suporte didático influencia a aprendizagem do estudante? Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2010.
VERGNAUD. G. A Classification of Cognitive Tasks and Operations of Thought Involved in Addition and Subtraction Problems. In. Addition and Subtraction: a cognitive Perspective. New Jerssey: Lawrense Erlbaun, 1982. P. 39-59.
Publicado
2018-12-17