Matemática Moderna entra em cena no Grupo Escolar Pedro Alves Cunha: livro didático, marcas de uma prática cultural

  • Tatiana Silva Santos Soares Secretária Municipal de Educação Vitória da Conquista
  • Claudinei de Camargo Sant'Ana
Palavras-chave: Grupos Escolares; Livro didático; Matemática Moderna; Bahia.

Resumo

Este trabalho é um recorte da dissertação intitulada “Uma História do Ensino de Aritmética em Jequié, Poções e Vitória da Conquista-Bahia (1936-1980): inter-relações entre a cultura escolar, política educacional e prática educativa”, defendida no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Científica e Formação de Professores (ECFP), da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), campus Jequié- Bahia. O objetivo deste artigo é apresentar o livro didático como fonte para as pesquisas em Educação Matemática, considerando-o como produto cultural complexo e como resultado de um grupo social. Tendo como cenário o Grupo Escolar Pedro Alves Cunha, situado em Poções, cidade localizada no Sudoeste Baiano e a Matemática Moderna como a vaga pedagógica constante no material pesquisado. No que concerne aos pressupostos teórico-metodológicos, fundamentou-se em: “A cultura escolar como objeto histórico”, de Dominique Julia (2001); e o conceito de apropriação segundo a História Cultural, de Roger Chartier (1990). Uma história do ensino da Aritmética, inerente à dimensão cultural, se constituiu demarcada por conteúdos que perpassaram décadas, com interpretações de seus personagens (ex-diretores, ex-professores e ex-alunos). E assim, inferimos que operações fundamentais (Adição, Subtração, Multiplicação e Divisão) eram associadas a Matemática Moderna por intermédio do conceito da Teoria dos Conjuntos.

Publicado
2019-04-26