Possibilidades e desafios da colaboração em diferentes contextos educacionais

Palavras-chave: Implementação curricular, Educação Matemática, Grupo Colaborativo

Resumo

O objetivo deste artigo é explicitar possibilidades e desafios no processo de constituição de dois grupos que desenvolveram estudos de forma coletiva, em tempo e espaços diferentes, na expectativa de se constituírem em grupos colaborativos. Os dois grupos tinham em comum o foco de estudar a implementação curricular. O estudo feito enquadra-se como pesquisa qualitativa do tipo participativa, pois o pesquisador participou como membro integrante dos dois grupos. O primeiro grupo, formado por formadores de professores, foi constituído com a finalidade de se discutir a implementação curricular em um curso de Licenciatura em Matemática, e o segundo grupo, formado por professores da Educação Básica, tinha como objetivo investigar Trajetórias Hipotéticas de Aprendizagem elaboradas para estudantes da Educação Básica.  A análise realizada foi focada nas relações entre os membros do grupo e nas possibilidades e desafios de formação individual e coletiva para os envolvidos. Os resultados corroboram com o que se discute na literatura ao considerar o grupo colaborativo como um potencial recurso na formação do professor. Os desafios que se destacaram para os grupos investigados foram o fator tempo e espaço para que aconteçam reuniões dos grupos e a autonomia necessária aos participantes do grupo na proposta de pautas para reuniões. É importante ressaltar que o fato dos participantes, dos dois grupos, terem motivações pessoais e interesse nos temas discutidos, possibilitou uma participação ativa de todos. Por fim, a estratégia de trabalho colaborativo foi enriquecedora, tanto no enfrentamento dos problemas coletivos quanto dos problemas individuais dos participantes.

Referências

ALARCÃO, I. Ser professor reflexivo. Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto Alegre: Porto, 1996.

BOAVIDA, A. M.; PONTE, J. P. Investigação colaborativa: Potencialidades e problemas. In GTI (Ed.) Reflectir e investigar sobre a prática profissional (p. 43- 55). Lisboa: APM, 2002.

CYRINO, M. C. C. T. Identidade profissional de (futuros) professores que ensinam Matemática. Perspectivas da Educação Matemática. Campo Grande, v. 10, n. 24, p. 699-712, 2017.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4a ed. São Paulo. Atlas, 2002.

HARGREAVES, A. Changing teachers, changing times: Teachers’ work and culture in Postmodern Age. New York: Teachers College Press,1994.

LIBÂNEO, J.C.; PIMENTA, S.G. Formação dos profissionais da educação: visão crítica e perspectivas de mudanças. In: PIMENTA, S.G. (Org.). Pedagogia e pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2002.

LIEBERMAN, A. School/University collaboration: a view from the inside. Phi Delta Kappan, 74, 2, 1992.

LOPES, C.A.E. Conhecimento Profissional e grupo colaborativo: uma pesquisa com educadoras matemáticas na infância. II Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática. Anais...São Paulo: SBEM, 2003.

NACARATO, A. M. Educação continuada sob a perspectiva da pesquisa-ação: currículo em ação de um grupo de professoras ao aprender ensinando geometria. Tese de doutorado – UNICAMP. Campinas, 2000.

PIRES. C. M. C. Projeto de Pesquisa. A aprendizagem significativa e conhecimentos prévios: investigando o currículo de matemática, em uma perspectiva construtivista. Programa de Estudos Pós Graduados em Educação Matemática. 2010.

PONTE, J. P.; OLIVEIRA, H. Remar contra a maré: A construção do conhecimento e da identidade profissional na formação inicial. Revista de Educação, Lisboa, v. 11, n. 2, p. 145-163, dez. 2002.

ROSENHOLTZ, S. Synthesis of research on the effects of class size, Education Leadership, Abril, 1989.

SANTOS, L. A Prática lectiva como actividade de resolução de problemas: um estudo com três professoras do ensino secundário. Lisboa.Tese de doutorado - Universidade de Lisboa. 2000.

SILVA, P.S.: TRALDI, A.J. Linguagem matemática no processo de aprendizagem de um grupo de estudantes surdos. Revista da Sociedade Brasileira de Educação Matemática. São Paulo. V-1. N. 23, 2019.

SIMON, M. A. Reconstructing mathematics pedagogy from a constructivist perspective. Journal for Research in Mathematics Education, 26(2), 114-145, 1995.

SOUZA JR., A.J. de. Trabalho coletivo na universidade: trajetória de um grupo no processo de ensinar e aprender cálculo diferencial e integral. 203 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. 2000.

TRALDI, A. Jr.; ROSEMBAUM, L Uma trajetória hipotética de aprendizagem sobre funções trigonométricas numa perspectiva construtivista. Educação Matemática Pesquisa.

Publicado
2021-05-01
Como Citar
Traldi JR., A. (2021). Possibilidades e desafios da colaboração em diferentes contextos educacionais. Com a Palavra, O Professor, 6(14), 146-163. https://doi.org/10.23864/cpp.v6i14.595